sábado, 16 de julho de 2011

O amor nos dá uma força inimaginável

Meus queridos,

em primeiro lugar, peço desculpas pelo sumiço de um mês (cravado) nos posts. É o excesso de tarefas, que faz com que percamos um pouco da organização e exige que as coisas "mais urgentes" sejam priorizadas. Infelizmente (ou não), o blog não tem ninguém me ligando pra postar logo, ou cobrando a postagem pra ontem. Muitos alunos pediram durante este tempo, mas eles entendiam a minha rotina atribulada. Mas vamos ao que interessa mesmo.

Nos últimos dias, houve eventos que considero importantes. No SEI, houve a visita de duas ex-alunas. Uma que está no 2º ano do IME, e outra que está no 4º ano da AFA. As duas falaram muito sobre a vontade que tinham de entrar nas instituições. Cada uma delas falou sobre como idealizou os dias em que estariam aprovadas, usando a farda, etc.. Muito legal mesmo!

A nossa futura aviadora, quase formada já, disse que passou perrengue no vôo, mas que nunca se viu fora da AFA. Ou seja, não existia a hipótese de não dar certo. Ela via a necessidade de se dedicar até o final, como se existisse a garantia de que tudo daria certo no final. Infelizmente, esta garantia não existe. Mas a boa notícia é que de uma forma ou de outra, parece que as coisas dão certo. É como se Deus honrasse o seu esforço e te desse a vitória. Como eu acredito totalmente em Deus, costumo me esforçar até o fim das minhas forças e confiar que Ele vai ver e me ajudar. Se não der certo, fico tranquilo, pq isso significa que não era pra ser aquilo mesmo. Mas só paro pra pensar nesta hipótese depois do jogo terminado. Até hj, Deus nunca me abandonou ou me deu alguma coisa que não fosse muito boa no fim das contas. Felizmente, deu tudo certo pra nossa futura aviadora também, que já está se formando e está feliz da vida. Dá pra perceber no olho dela a realização de fazer oq gosta. Isto não tem preço.

A nossa futura engenheira civil também deu uma boa injeção de ânimo na galera, dizendo como fazia na hr de estudar, como encarou as provas, etc.. E como conciliar a vida estressante de aluno do IME com a vida "comum", de pessoa que precisa sair, namorar, etc.. A galera gostou muito!

Muitas vezes, vemos uma pessoa ou um time conquistando um feito quase impossível, ou que não conseguimos imaginar como eles conseguiram fazer aquilo. O amor pelo que se faz traz uma energia que não sabemos de onde vem. Mas na hr do sufoco, ela aparece. Aquela última energia que não imaginamos ter, mas que na hr do desespero aparece. Muitas vezes, o sacrifício ao longo da preparação nos traz uma sensação de merecimento, uma sensação de que não é justo que não sejamos vitoriosos.



A Seleção Brasileira de Vôlei masculina parece ter desenvolvido esta força. Embora tenha sido derrotada no domingo passado, nada tira o brilho deste time, que na verdade já mudou de formação diversas vezes. Já estamos na quarta geração sob comando do Bernardinho, e a Seleção continua ganhando. Eles parecem não aceitar a derrota e brigam até o último ponto. Na 2a fase da Liga Mundial, houve um jogo contra Cuba, em que a seleção cubana teve 5 chances de acabar com o jogo e não o fez. E no final, a seleção brasileira ganhou o jogo. É disso que estou falando. Quando vc sofre na preparação, vc não aceita perder na hr do jogo. Agora, vcs estão na fase do sofrimento. Já já é o jogo. E mais um pouco depois, vem a hr da comemoração. Estamos juntos nisso!

A aprovação é logo ali.

Vamo que vamo!!!!

Beijomeliga.

4 comentários:

  1. Leonardo M. U. de Araujo17 de julho de 2011 21:41

    grande humberto,
    tudo o que você escreveu aqui è a mais pura verdade, lembro que senti um mix disso tudo, quando as coisas aconteceram pra mim...é indescritivel a sensaçao...todos os seus amigos e parentes também passam no vestibular com você...quando meu nome apareceu virei para o meu pai e disse..."PAI NÓS VENCEMOS, FINALMENTE VENCEMOS"...e é essa é a grande verdade das coisas, ninguem vence sozinho e essa vitória, assim como voce, dedico a Deus
    ..."nas curvas eu sempre pude escolher entre acelerar e reduzir...eu sempre acelerei"...ME LEMBRO DISSO COMO SE FOSSE ONTEM(CARREGO COMIGO ATÉ HOJE)!!
    bom ver que continua a inspirar jovens a realizarem seus sonhos,
    fica com Deus

    PS:
    se algum dia quiser que eu vá conversar com os futuros IMEANOS e ITEANOS, mas desde já os considero vencedores, estou a disposiçao.

    e vê se para com esse BEIJOMELIGA...seu carente.

    Leozinho-(EX-ALUN0)

    ResponderExcluir
  2. Grande Humberto! Sempre dizendo as palavras certas na hora certa...
    Também constumo passar essa mensagem para meus alunos, tavez não com essas mesmas palavras.
    Digo a eles que em tudo que faço não meço esforços para conseguir o que qero... seja o que for: Passar no Colégio Militar aos 9 anos, no IME aos 16 anos, seja para abrir um curso preparatório, ou seja, tudo que fiz deu certo. Pode ter demorado um pouco, no caso do concurso do colégio Militar, que fiz duas vezes.
    Digo também que, quem não dá o máximo de si, é porque não acredita na vitória.
    Humberto constuma citar como exemplo as vitórias da seleção de ouro do Bernardinho. Vou citar agora, a derrota da seleção brasileira para o Paraguai.
    Um jogador do Brasil, que não me lembro o nome, falou que pênalti é loteria. Até postei no facebook que concordava com ele, pois era só ele bater uns 100 pênaltis que a sorte aumentava!
    Para finalizar esse comentário que mais parece o post principal (rsrsrs) digo que não tem mistério pessoal: TEM QUE RALAR MUITO!
    Soncim

    ResponderExcluir
  3. WoW! Há muito tempo ñ passso por aqui!
    Como sempre, adorei o post!

    ResponderExcluir
  4. Sou aluna de uma turma IME ITA aqui do Rio mesmo, e agradeço muito pelas palavras que sempre me animam, ainda mais esse período tenso de 2 meses para o IME, com força e acreditando, nada é impossível.
    Obrigado Mestre!!

    ResponderExcluir