quinta-feira, 3 de junho de 2010

Projeto H2A Entrevista: AFA

Meus queridos,

dando continuidade ao projeto "H2A Entrevista", hoje temos as respostas do pessoal formado na Academia da Força Aérea.

Mais uma vez, meu agradecimento de coração àquele que respondeu.

Beijomeliga!



Entrevistado: Eclaiton Machado.

1. Qual a sua turma de formação e sua especialidade?

Machado: Formei-me em 2007, sou oficial aviador da FAB.


2. Onde trabalha atualmente (cidade)? Em que função?

Machado: Estou servindo no 5º Esquadrão de Transporte Aéreo, Esquadrão Pégaso sediado na Base Aérea de Canoas. Sou o oficial de relações públicas do esquadrão.


3. Está satisfeito com seu trabalho? Acha que o seu aprendizado durante a formação está sendo realmente empregado na sua vida profissional?

Machado: Estou bastante satisfeito. O oficial aviador exerce tanto funções administrativas quanto operacionais, que neste caso é o vôo. Há uma carga elevada de trabalho administrativo. Durante a formação, nós não aprendemos muito como desempenhar esta função, mas não é nenhum “bicho de sete cabeças”, todo oficial recém chegado a uma unidade vai aprender e vai desempenhar um bom trabalho. Com relação à parte operacional que é o vôo nós somos muito bem treinados e empregamos bem o que aprendemos na Academia.


4. Em uma escala de 0 a 10, onde 0 é “nada satisfeito” e 10 é “totalmente satisfeito”, como você classificaria a sua situação em relação ao seu salário?

Machado: Minha nota é 07. Digo isso porque acho meu salário defasado em relação à responsabilidade e formação que tenho e também o comparando com outros funcionários públicos. Mas não fico reclamando o tempo todo.


5. Você viaja muito a trabalho? Acha isso bom ou ruim?

Machado: Eu viajo bastante, pois sou piloto. No meu caso eu acho bom!


6. Qual é a razão pela qual escolheram a sua escola de formação? Era sua primeira opção?

Machado: Eu nunca havia pensado em ser militar, descobri por acaso e me preparei para prestar a prova. A EPCAr era a minha primeira opção.


7. Você fez cursinho? Quantos anos?

Machado: Eu fiz apenas um ano de cursinho.


8. Você costumava sair no ano do concurso? Como era sua vida social?

Machado: No ano do concurso eu era bem mais jovem, tinha 16 anos. Não costumava sair muito, consegui passar com apenas um ano de cursinho, mas tive de me dedicar bastante, até porque eu não tinha uma base muito boa. Pra falar a verdade no ano do concurso eu praticamente não tive vida social, mas não me arrependo de nada!


9. O que você não gostou dentro da sua escola de formação?

Machado: É uma pergunta difícil de responder. Isso é muito subjetivo, pois a formação militar não é agradável, é um período de muita dedicação. Acho que o que mais me irritava era a injustiça cometida por algum superior.


10. Como é a cobrança de treinamento físico durante o curso de formação? As provas físicas valem para a nota final?

Machado: A cobrança era forte, e a meu ver tem que ser assim ou até maior. Na minha concepção o militar da ativa tem que ter um bom preparo físico. As provas físicas valem para a classificação final.


11. Muitos alunos ficam reprovados durante o curso? Lá dentro, pode repetir uma matéria ou o ano?

Machado: Sim, no caso da AFA muitos cadetes foram reprovados durante o vôo. Por exemplo, minha turma começou o segundo ano da AFA com 194 cadetes aviadores e acabou este ano com 113. No quarto ano, se formaram apenas 103 cadetes aviadores. A grande maioria destes foi desligada no vôo, ou seja, não conseguiu concluir. Na AFA, se você ficar reprovado em qualquer item, é desligado do curso. Só para esclarecer, este número de desligamentos na AFA é normal, todo ano é assim. Muitos não conseguem se adaptar ao vôo e têm dificuldades.


12. Muitos alunos desistem durante o curso?

Machado: Durante o curso na AFA as desistências são poucas.


13. Durante a formação na AFA, você estudou mais ou menos do que para passar no concurso?

Machado: São diferentes níveis de estudo. Durante todo o curso na AFA, você vai estudar bastante, mas existem anos que são piores, por exemplo, os anos em que você voa. Nestes anos, o nível de estudo é bem maior do que o estudado na época do cursinho. E como são matérias diferentes tudo depende da capacidade de cada pessoa. Nos outros anos em que não voei, estudei um pouco menos. Vale ressaltar também que existe muita pressão psicológica e isso vai interferir de várias formas diferentes nos cadetes, cada um interpreta de um jeito.


14. Os testes de saúde (de visão, ortopédico, etc.) antes de entrar pra AFA e depois quando estiver lá são muito rigorosos?

Machado: Para entrar na AFA são extremamente rigorosos, após estar lá dentro as coisas ficam mais tranqüilas.


15. Como é a carreira do oficial formado na AFA?

Machado: O cadete, um mês antes de se formar, escolhe o tipo de aviação que quer seguir na carreira. Na FAB, existem 5 aviações: transporte, patrulha, reconhecimento, caça e helicóptero. Ele se forma no final do ano, sendo promovido a Aspirante-a-oficial aviador. No ano seguinte, a turma é dividida, os que escolheram as aviações de caça ou helicóptero vão para Natal, os que escolheram as aviações de transporte, patrulha ou reconhecimento vão para Fortaleza. Todos ficam um ano nestas localidades e fazem o curso nas respectivas aeronaves que irão voar de acordo com a aviação escolhida. Este é o curso de especialização operacional. Ao final do curso, todos escolhem as unidades que irão trabalhar no ano seguinte, de acordo com sua classificação (o que conta é o desempenho no ano). No início do ano seguinte, toda a turma se junta e vai para Natal realizar o curso de tática aérea que tem duração de 2 meses. Após este curso, todos vão para as suas respectivas unidades. No meu caso, por exemplo, eu escolhi a aviação de transporte. Sendo assim, tinha 7 opções de localidades: Rio de Janeiro, São Paulo, Manaus, Belém, Porto Alegre, Brasília e Recife. Eu escolhi Porto Alegre. Cada aviação tem uma variedade de unidades diferentes. Na caça, por exemplo, o piloto vai para Boa Vista, Porto Velho ou Campo Grande. Vale ressaltar que todas estas primeiras unidades que nós vamos após o curso em Natal são unidades de segunda linha. A FAB funciona da seguinte forma: o piloto se forma, faz sua especialização e vai para as unidades de segunda linha, após um período de 4 a 6 anos, ele pede transferência para as unidades de primeira linha, que são unidades com aeronaves melhores, e quando vai ficando “mais antigo” tende a não mais escolher a unidade e sim “ser escolhido” pois irá comandar alguma unidade.


16. Quem vai pra AFA, mas tem maior interesse pela área de engenharia, há caminhos que podem ser seguidos?

Machado: Sim, os oficiais aviadores podem prestar prova para o ITA aos formados. Todos os anos, o ITA reserva uma quantidade de vagas para os oficiais aviadores, na maioria das vezes, as vagas são maiores do que o número de interessados. Se o militar passar na prova, já está aprovado. Qualquer piloto pode fazer isso desde que autorizado pelo seu comandante. Por exemplo, aqui em Canoas há um Major Aviador, que fez a prova para o ITA, quando estava no último ano de tenente. Ele foi pra lá, fez o curso de 5 anos e depois foi transferido para uma unidade da FAB para trabalhar no setor de engenharia. Como ele já era oficial da FAB, a sua carreira continuou normalmente, só que em vez de ficar 5 anos trabalhando em alguma unidade ele ficou 5 ano realizando o curso no ITA. Ele foi promovido nas épocas certas como qualquer outro oficial. Isso é assim para todos os oficiais que fazem o curso no ITA.


17. Quais atributos você considera mais importante na sua aprovação no concurso?

Machado: Para a minha aprovação o mais importante foi o comprometimento e dedicação. Se você colocou na cabeça que é aquilo que você quer, vá em frente e se dedique. E sempre pense: Eu vou passar! Você tem que ser o primeiro a acreditar!


18. Se pudesse resumir o seu ano de esforço para passar no concurso em uma frase, que frase seria?

Machado: “Alguém tem que passar, por que não pode ser eu?” Uma vez me disseram essa frase e acho que ela se encaixa muito bem. O segredo para passar num concurso é acreditar em si mesmo e ter muita força de vontade!!!

12 comentários:

  1. Adorei a entrevista!
    sensacional!!!
    Me animei mais ainda em passar.
    Acredito em mim e acima de tudo confio em DEUS!
    Agradeço Humberto pela sua iniciativa neste projeto, estás de parabéns.

    ResponderExcluir
  2. MARIA ELIZABETE DE OLIVEIRA26 de julho de 2010 15:47

    26 DE JULHO DE 2010

    GOSTARIA DE SABER MAIS SOBRE O PROJETO MILITAR,E QUAL PROJETO É MAIS PERTO DE MINHA CIDADE?AGUARDO CONTATO (19) 97528920 38184137

    OBRIGADA

    ResponderExcluir
  3. Nossa, meu olho se encheu d'água lendo essa entrevista! A vontade de seguir carreira militar só fez aumentar. Eu vou conseguir realizar esse meu sonho também. :(
    AFA ♥

    ResponderExcluir
  4. "1 ANO DE CURSINHO"

    HÁ PESSOAS NESSE MUNDO QUE POSSUEM ALGO INEXPLICÁVEL ALÉM DA FORÇA DE VONTADE; ISSO É MAIS QUE UM DOM, É UMA PREDESTINAÇÃO.

    ResponderExcluir
  5. Li a entrevista ne íntegra. Conheço o Ten Machado, fui contemporâneo dele na AFA. Falou muito bem e deu conselhos muito bons para todos que almejam este desafio. Me formei no ano passado e agora sou Aspirante a oficial de Infantaria da FAB. Gostaria de incentivar aqueles que tem este sonho. Não é impossível, também precisei me dedicar muito, mas GRAÇAS AO BOM DEUS consegui! Estudem, dediquem-se. Também tenho uma frase que me incentivou muito: "SEM SABER QUE ERA IMPOSSÍVEL, FOI LÁ E FEZ!"

    ResponderExcluir
  6. Gostei muito da entrevista. Mas oque eu tava precisando era de uma entrevista com um oficial de infantaria que e o meu curso de interesse! Obrigado!!

    ResponderExcluir
  7. Essa entrevista me emocionou muito, pois é como se eu tivesse vendo meu futuro lá na AFA, pois tenho um sonho deis de pequeno em ser um piloto da Força Aéria Brasileira e se Deus quiser vou conseguir realizalo com muita dedicação porque força de vontade é o que não falta pra mim!

    ResponderExcluir
  8. Ótima entrevista!! Mas já fiquei com saudade do meu namorado, pois ele vai prestar concurso pra AFA... mas fico muito feliz ao mesmo tempo pois sei que ele vai estar fazendo o que gosta e não importa a distancia sei que iremos estar juntos no final. TE AMO YOURI!!!

    ResponderExcluir
  9. De mais, gostei muito dessa pagina, essas entrevistas anima e ajudam os candidatos a escolher seu caminho, vocês são de mais XD

    ResponderExcluir
  10. Gostaria de saber mais sobre o salario,bem deduzido se possivel,ando pesquisando muito e estou em duvido se vale apena o grande sacrificio ???

    ResponderExcluir
  11. Muito bom!Me esclareceu várias dúvidas,inclusive a da engenharia.

    ResponderExcluir